quinta-feira, 16 de novembro de 2017

ACAMPAMENTO DE CASAIS: CASAMENTO UMA VIDA A DOIS
                   I
Com permissão de Jesus
Sinto-me muito honrado
Por falar de um encontro
Por Deus sendo abençoado
O encontro de casais
Em Martins realizado.
                  II
Que encontro abençoado
Só foi este de casais
Amor e a convivência
São os focos principais
Na presença de Jesus
Nas vivências reais.
               III
Com as bênçãos fraternais
Foi nesse fim de semana
Onde a linda Martins
Uma cidade serrana
Ocorreu esse encontro
Com tanta gente bacana.
                   IV
Nossa irmandade humana
A união de casal
Participou de palestras
E de devocional
Onde temos para Deus
Dependência total.
                V
Um encontro fraternal
Que teve seu preletor
Nosso irmão Eduardo
Grande servo e pastor
As suas pregações foram
Casamento com amor.
                VI
Trabalhando com penhor
Teve o pastor Marcelo
O pastor Marcionilo
Falo e não amarelo
O nosso pastor Eilton
Com o seu trabalho belo.
                VII
Aqui também eu atrelo
Nossa coordenação
Ministério de casais
Com a organização
Em fazer tudo perfeito
E com determinação.
               VIII
Muito amor e oração
Para Deus é importante
O momento que vivemos
Lá no alto do mirante
Com oração e louvor
Naquele lindo semblante.
                  IX
Um momento tão brilhante
De maneira sistemática
Noite dos anos setenta
Que foi a nossa temática
Onde o verbo amar
Foi destaque na gramática.
                 X
A situação climática
Veio nos favorecer
Os casais participantes
Que puderam entender
Toda nossa união
Pois de Deus é o querer.
                XI
O tema eu vou dizer
E não deixo pra depois
Está em Efésios cinco
A onde Paulo propôs
No versículo trinta e quatro
Casamento uma vida a dois.
                 XII
Pois uma vida a dois
É a nossa convivência
Pra permanecer em Deus
E não perder a essência
Deus em nossos corações
Terá sempre permanência.
           Mossoró-RN, 13.11.2017.
                    Ilton Gurgel, poeta.



 


segunda-feira, 13 de novembro de 2017

       DALILA
                 I
Encontramos em Juízes
Na nossa Bíblia Sagrada
No capítulo dezesseis
Uma passagem mostrada
No antigo testamento
Por traição foi marcada.
                   II
Ela é relacionada
Muito relativamente
Uma mulher desonesta
Que não era consciente
Além de ambiciosa
Do mal plantou a semente.
                   III
Nós sabemos simplesmente
Por Dalila era chamada
Dalila por sua vez
Palavra apropriada
Seu nome significa
Doce, dócil ou delicada.
                 IV
Palavra que registrada
No seu próprio idioma
E de origem hebraica
A palavra também soma
No nosso dicionário
Que outro sentido toma.
                  V
Mas com o mesmo sintoma
Do instinto de maldade
Dalila que comparamos
A nossa realidade
Onde erro e traição
Tem mesma cumplicidade.
                  VI
Tendo origem e cidade
E também o povo seu
Pois em Vale do Soreque
Foi onde ela nasceu
No sangue o compromisso
Com seu povo filisteu.
                 VII
Quando a Sansão conheceu
Ela teve a incumbência
Arrancar qual o segredo
De tanta força potência
Que tinha o seu marido
Com tanta eficiência.
                VIII
Ela que na convivência
Fingiu-se fragilizada
Dizia que o amava
Mas era compromissada
Com seu povo filisteu
Firme e determinada.
                  IX
Quatro vezes perguntada
Ela para seu marido
Motivo de tanta força
Tinha nele embutido
Com desculpa respondeu
O que não dava sentido.
                 X
Num gesto descontraído
O segredo revelou
E no colo de Dalila
Sansão dormindo ficou
Já imediatamente
O seu cabelo cortou.
                 XI
Nisso ele fracassou
Perdeu força e poder
Foi zombado e humilhado
Cego não pôde mais ver
Trabalhou pros inimigos
Que não era seu querer.
                  XII
Dalila veio morrer
Com toda população
Numa vingança cruel
Que foi feita por Sansão
Ela numa covardia
Praticou a traição.
          Mossoró-RN, 12.11.2017.
                   Ilton Gurgel, poeta.














SOU CRENTE SEM NENHUM CONSTRANGIMENTO, POR QUE SEI QUE NO CÉU VOU HABITAR.
                    I
Eu já fiz na vida a opção
De seguir Jesus com o meu amor
Sei que é nosso grande salvador
Com Jesus tenho uma nova visão
O Céu que será a habitação
Da minha alma quando for morar
Porque é um excelente lugar
Espero só chegar esse momento
Sou crente sem nenhum constrangimento
Por que sei que no Céu vou habitar.
                        II
O Céu é a nossa grande vitória
O crente batalha vida inteira
Para ter ocupada a cadeira
Pra ficar com o nosso Rei da glória
Podemos ver que a nossa história
Com Jesus ela vai continuar
Tudo aqui que na terra vai ficar
Doença, toda dor e sofrimento
Sou crente sem nenhum constrangimento
Por que sei que no Céu vou habitar.
                          III
Ser crente é ter toda sua vida
Mudada para poder Jesus seguir
Todo o compromisso assumir
Conversão é o ponto de partida
Batismo que vem logo em seguida
E depois ler a Bíblia e orar
Só assim eu posso me preparar
Pra poder no Céu ter consentimento
Sou crente sem nenhum constrangimento
Por que sei que no Céu vou habitar.
                          IV
O culto que faço pra o Senhor
O louvor, a oração de joelho
De Jesus escutando o conselho
Falado através do meu pastor
A nossa igreja com esplendor
Em Cristo nós vamos nos alegrar
Ovelhas da igreja arrebanhar
Muito bom pra nosso entendimento
Sou crente sem nenhum constrangimento
Por que sei que no Céu vou habitar.
                         V
Sei que eu pra ser crente demorei
Reconheço que foi a minha falha
Agora ninguém mais me atrapalha
Caminho de Jesus eu encontrei
Pois desde a hora que aceitei
Eu vi a minha vida transformar
No agir e em todo meu pensar
Pois por mim Jesus teve sofrimento
Sou crente sem nenhum constrangimento
Por que sei que no Céu vou habitar.
                      VI
Digo que hoje sou realizado
Em saber que agora sou um crente
Fato que me deixa muito contente
Por Jesus hoje eu sou abraçado
Por isso sinto-me muito honrado
Em saber que posso participar
Jesus vem minha vida abençoar
Aguardo somente seu chamamento
Sou crente sem nenhum constrangimento
Por que sei que no Céu vou habitar.
                  Mossoró-RN, 11.11.2017.
                        Ilton Gurgel, poeta.








quinta-feira, 9 de novembro de 2017

TEM QUE SER EVANGÉLICO PRA SABER, QUE JESUS É O NOSSO SALVADOR.
                            I
O crente tem a vida transformada
Na hora que ele é convertido
Aí ter do pecado arrependido
Tendo a sua alma restaurada
Nossa fé também é acompanhada
Por Jesus que é nosso protetor
Jesus que está em todo setor
Do crente e que vai permanecer
Tem que ser evangélico pra saber
Que Jesus é o nosso salvador.
                       II
Só Jesus é quem salva nossa vida
Por que já o nasceu predestinado
O filho de Deus que foi enviado
Pra poder resgatar alma perdida
A nossa salvação atribuída
Aquele que mostrou todo penhor
Pregado numa cruz sentindo dor
Julgado sem nada ele fazer
Tem que ser evangélico pra saber
Que Jesus é o nosso salvador.
                    III
Colocada a coroa de espinho
O que foi uma grande crueldade
Por amor a toda humanidade
Suportou ele e sofreu sozinho
No lugar dele receber carinho
Recebeu agressão também rancor
Daquele povo que foi agressor
Pra poder nossa salvação trazer
Tem que ser evangélico pra saber
Que Jesus é o nosso salvador.
                     IV
O crente por amor segue Jesus
Da Bíblia segue orientação
Passagem pra fazer reflexão
Pra poder a gente ficar na luz
Para o Céu é Jesus quem nos conduz
Ele é das ovelhas o pastor
Livrando do lobo devorador
Do crente nunca vai se esquecer
Tem que ser evangélico pra saber
Que Jesus é o nosso salvador.
                     V
Quem não é crente tudo ignora
Acende vela e adora imagem
Digo que esse tem muita coragem
Fato que a Deus tanto apavora
Na vida precisa de ter melhora
Vê que o ser humano é pecador
Aceite Jesus o Nosso Senhor
Precisa urgente se converter
Tem que ser evangélico pra saber
Que Jesus é o nosso salvador.
                     VI
Hoje eu digo que estou feliz
Pois Jesus está no meu coração
Com ele está minha salvação
A melhor opção que eu já fiz
Porque a palavra é quem nos diz
Jesus não tem intermediador
Só ele é quem salva por amor
O povo todo possa entender
Tem que ser evangélico pra saber
Que Jesus é o nosso salvador.
         Mossoró-RN, 10.11.2017.
                Ilton Gurgel, poeta.


quarta-feira, 8 de novembro de 2017

BARRABÁS FOI CONDENADO, MAS GANHOU A LIBERDADE.
                   I
A Bíblia vem nos mostrar
Conforme sua passagem
Encontramos em Mateus
Fala de um personagem
No capítulo vinte e sete,
Fala da sua imagem.
                 II
Pois não é uma montagem
Que essa passagem traz
Porém fala de um homem
De que muito medo faz
Era um homem conhecido
Por nome de Barrabás.
                III
Sabemos que Barrabás
O seu nome verdadeiro
Bar Aba era chamado
Que tornou-se desordeiro
Que dizer “filho de pai nobre”
Era o prisioneiro.
              IV
Antes ganhava dinheiro
Em um bote que remava
Era sua profissão
E honesto trabalhava
Governo cobrando impostos
O seu bote confiscava.
               V
O imposto não pagava
Pois não tinha condição
Porque era muito alto
Grande a exploração
E quando ficou sem nada
Começou a reação.
              VI
Por isso virou ladrão
Do que via pela frente
Roubava e salteava
Forte e muito temente
Ganhou fama e seguidores
Pois era muito valente.
                  VII
Ele formou de repente
Pelotão de marginais
Do qual ele virou chefe
De todos seus capatais
Muito perigoso e forte
Perigos eram reais.
             VIII
Perante os tribunais
Tinha sido condenado
Junto com Dimas e Jestas
Cada um já preparado
Barrabás com seus colegas
Ia ser crucificado.
               IX
Porém já tinham tirado
A medida para a cruz
Corpo na medida certa
Pois cada um a conduz
Quando Barrabás foi solto
No seu lugar foi Jesus.
                   X
Antes foi ter com Jesus
A mãe desse condenado
Pediu pro filho ser solto          
A Jesus foi implorado
Jesus a tranquilizou
E teve os pés beijado.
                 XI
E depois o resultado
No calvário ocorreu
Ao invés de Barrabás
Foi o Cristo quem morreu
Vivo e livre da morte
Barrabás permaneceu.
                XII
Por isso aconteceu
Com Jesus a crueldade
Barrabás que praticou
Roubo e tanta maldade
Na presença de Pilatos
Ganhou sua liberdade.
         Mossoró-RN, 09.11.2017.
                 Ilton Gurgel, poeta.









 FULGA E VOLTA DE JESUS PRA O EGITO
                  I
Evangelho de Mateus
Logo após o seu início
Está no capítulo dois
Para o leitor propício
Pra Jesus se proteger
 Teve todo o indício.
             II
Sabemos que no início
Logo que Jesus nasceu
Pra visitar o menino
Tanta gente apareceu
Inclusive os reis magos
Que Herodes recebeu.
                 III
Tudo que aconteceu
Foi inveja e ambição
Herodes ameaçado
De perder a posição
Perguntou onde nascera
Esse rei da salvação.
               IV
Dando orientação
Onde o menino estava
Disse para informa-lo
Que também o visitava
Os magos orientados
Outro caminha tomava.
                  V
E um Anjo avisava
 A José que fez bonito 
Herodes ia matar
A criança no distrito
Jesus com sua família
Fugiu para o Egito.
             VI
Ocorreu choro e grito
Herodes foi enganado
Mandou matar os meninos
Que fossem de qualquer lado
Que de dois anos a baixo
Para ser assassinado.
             VII
Esse fato foi marcado
Entre tantas agonias
Para poder ser cumprido
Que disse as profecias
Ouve-se clamor e pranto
Do profeta Jeremias.
            VIII
No Egito pelas vias
Quando então foi avisado
Da morte do rei Herodes
Não causava mais cuidado
Pra voltar pra Israel
O país determinado.
                IX
Jesus sendo acompanhado
E tão logo regressou
Tendo José escutado
Arquelau foi quem ficou
Sendo o rei da Judéia
Ele se preocupou.
              X
Mas o Anjo avisou
Por divina advertência
Prevenindo em um sonho
Tomou uma providência
Ele foi pra Galileia
Pra Jesus ter residência.
                 XI
Naquela mesma sequência
Como assim fez José
Seguiu com sua família
E caminhando a pé
Habitou numa cidade
Por nome de Nazaré.
               XII
E Jesus em Nazaré
Sendo estabilizado
Cumpriu-se a escritura
Aonde foi indicado
Que seria o menino
Por Nazareno chamado.
          Mossoró-RN, 08.11.2017.
                Ilton Gurgel, poeta.





MEU AMOR POR SANDRA ALVES
                   I
Minha linda Sandra Alves
A mulher que tanto amo
O seu nome muito doce
Que todo dia eu chamo
Por isso que para Deus
Até seu nome proclamo.
                II
Sandra Alves eu te amo
Você possa entender
Que nossa felicidade
Sempre vai permanecer
Nesta nossa união
Que vem nos fortalecer.
                  III
Um amor que vem trazer
A nossa felicidade
Amor puro e verdadeiro
Que nos dá facilidade
De vivermos um momento
Coo amor de qualidade.
                  IV
Que nossa eternidade
Sejam juntos lá no Céu
O corpo aqui na terra
Vai ficar num mausoléu
Nossa alma com Jesus
Será um grande troféu.
                V
Eu tiro o meu chapéu
Para você meu amor
Sandra Alves você é
Uma perfumada flor
Um aroma natural
Com a bênção do Senhor.
                VI
Eu amo o seu calor
Quando estou abraçado
Sentir o seu corpo quente
Macio e delicado
Que por entre os meus braços
É bem acariciado.
               VII
Quem ama tem o cuidado
De dá toda proteção
Faz carinho e dá beijo
Segurança ter então
Por causa do nosso amor
Esta é nossa razão.
            VIII
O nosso amor padrão
É puro e verdadeiro
Amor que levado a sério
Sigamos todo roteiro
E que no seu coração
Meu nome seja o primeiro.
               IX
Não preciso de dinheiro
Pra contigo ser feliz
Porque o nosso amor
Tem uma forte raiz
No nosso interior
Fica como o Senhor quis.
                X
Eu não sou um aprendiz
Nem um profissional
Relativo a nós dois
Na vida sentimental
O normal para viver
Uma vida congulgal.
               XI
Mulher tão especial
Pra sempre irei amar
Nossa vida aqui na terra
Um dia vai acabar
Ao seu lado lá no Céu
Sei que vai continuar.
                 XII
Assim pude declarar
Todo o meu sentimento
Que sinto pela mulher
Pra viver este momento
Meu amor por Sandra Alves
Puro sem constrangimento.
        Mossoró-RN, 07.11-.2017.
                Ilton Gurgel, poeta.