segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

PRAÇA SÃO SEBASTIÃO, A PRAÇA DAS VIÚVAS
                 I
Um fato interessante
Que tem na nossa cidade
Recorde em Caraúbas
Parece normalidade
Fato que eu considero
Uma curiosidade.
              II
Não é exclusividade
Pois tem em todo lugar
Mas o índice de viúva
Mesma rua a morar
Confesso nunca ter visto
Pois aqui vou relatar.
               III
A primeira a cintar
Moradora da esquina
Que é Fátima de Nicó
E tem outra nordestina
Dona Maria de Plínio
Este quadro ela domina.
                IV
Com o jeito de menina
Moradora que convém
Netinha de seu João Gomes
Mulher que só faz o bem
Tem Iracema de Nero
E tem Sueli também.
               V
Uma viúva que tem
Excelente qualidade
A lorde tia Vanilda
Com a sua humildade
Socorro de seu Romão
Tem sua integridade.
                VI
Outra com simplicidade
Que é Genita Gurgel
Gerusa de seu Desudete
Relato neste papel
Tem também noutra esquina
Chiquinha de Ozael.
                VII
Mulher simples e fiel
Que nunca fica sozinha
É Pequena de Tarcísio
E também Dona Elsinha
Vou citar outra viúva
Aqui na poesia minha.
                  VIII
Chamada de Socorrinha
Uma nobre poetisa
Socorrinha de Demilson
Que tanto sensibiliza
Com sua inteligência
Ela tanto simpatiza.
                IX
Outra que contabiliza
Aqui faz integração
E no quadro da igreja
Faz sua habitação
Que todos nós conhecemos
É Toinha de Pedrão.
                 X
Praça São Sebastião
Que também é conhecida
Como quadro da igreja
Na praça é inserida
Total quatorze viúvas
Nada há que coincida.
                XI
Uma praça tão querida
Por viúvas habitada
Tem apenas um viúvo
Que nela é integrada
É o senhor Cassiano
Nela tem sua morada.
               XII
Assim falei na jornada
Da praça onde morei
Deste índice recordista
Das viúvas que contei
Se esqueci de alguma
Confesso que não lembrei.
            Mossoró-RN, 07.12.2017.
                    Ilton Gurgel, poeta.














sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

RÁDIO CENTENÁRIO DE CARAÚBAS-RN
             I                                                        
O Oeste potiguar
Onde Fica o Sertão
Temos uma emissora
De grande aceitação
Pioneira preparada
Para comunicação.
              II
Porque nossa região
Num formato legendário
Temos uma emissora
Com o seu itinerário
Que fica em Caraúbas
É a Rádio Centenário.
                III
De um modo secundário
Fica na nossa cidade
Nossa doce Caraúbas
No Alto da Liberdade
Onde fica a emissora
Com sua formalidade.
                 IV
Tem um som de qualidade
Transmissores com potência
Um trabalho bem prestado
Traz a boa consequência
Faz com que a Centenário
Tenha grande audiência.
                  V
Ela tem sua frequência
Nós podemos encontrar
É mil quinhentos e dez
Pra gente sintonizar
Para quem quiser ouvir
É só rádio ligar.
              VI
Ela que está no ar
Sempre atualizada
Desde oitenta e dois
Quando foi inaugurada
Hoje na RPC
A rádio é integrada.
              VII
Totalmente dedicada
Na sua programação
A Revista Centenário
De manhã é atração
Centenário em Debate
Ouvido na região.
             VIII
Dando continuação
Programa apresentado
O RPC Patrulha
Que aqui é integrado
Também tem o Show da Tarde
Muito bem qualificado.
                IX
Um programa apresentado
De um modo natural
De quarta a sexta-feira
É o Noite Cultural
Apoiar nossa cultura
É o foco principal.
               X
Sua rede social
Ela tanto facilita
Falar com a emissora
Forma moderna bonita
Seu link na internet
O seu ouvinte cogita.
              XI
Nela a gente acredita
Só tem profissional
Desde a diretoria
O trabalho é igual
A responsabilidade
Tem o índice formal.
              XII
De um modo integral
Falei sobre a Centenário
Parabéns eu quero dar
A rádio neste horário
E de parabéns está
Quadro de funcionário.
            Mossoró-RN, 07.12.2017.
                  Ilton Gurgel, poeta.





O RETRATO DO SERTÃO NA ZONA RURAL
              I
Nosso Sertão potiguar
Lugar onde eu nasci
Igual todo sertanejo
Foi onde também cresci
Amar sempre o Sertão
De pequeno aprendi.
                 II
Sertão onde eu vivi
De forma original
Onde uma vida pura
Totalmente natural
Que aqui vou destacar
A nossa zona rural.
               III
Um lugar especial
Sua terra é castigada
Devido à estiagem
A mata toda queimada
Onde a dificuldade
Lá na roça é marcada.
                 IV
Mas sentar numa latada
Duma casa no Sertão
Forquilha de aroeira
Barro batido no chão
E a palha do coqueiro
Para dar sustentação.
                 V
Na latada que então
Sentamos pra conversar
Sentir a brisa da noite
A lua admirar
Os assuntos variados
Pra gente dialogar.
               VI
E nas noites sem luar
O claro da lamparina
Café com batata doce
Sem uso de margarina
Macaxeira cozinhada
Alimento que fascina.
               VII
Na região nordestina
Eu disse só a entrada
Para a janta que mais tarde
Servida e preparada
Com cuscuz feito no pano
Carne de bode e coalhada.
                 VIII
No almoço é carne assada
Arroz de leite e pirão
Arroz plantado na terra
E pilado no pilão
O nosso feijão de corda
É a grande atração.
                 IX
Essa é uma refeição
Que na roça é servida
Mas tem outras iguarias
Também muito conhecida
Tem o mugunzá com nata
Que é muito preferida.
                   X
Variada é a comida
Além do divertimento
Forró e a cantoria
Um importante evento
Ouvir o rádio a noite
Desperta o sentimento.
                XI
Botar água num jumento
Que o nosso Sertão tem
Sentir cheiro do curral
O Sertão e mais ninguém
Cozer no fogão a lenha
Dá sabor e nos faz bem.
                 XII
Venha conhecer também
Que ainda não conhece
A vida do meu Sertão
Lugar que nos engrandece
Ouvir o galo cantar
Logo quando amanhece.
            Mossoró-RN, 06.12.2017.
                  Ilton Gurgel, poeta.





quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

A HISTÓRIA DE JOSUÉ
                 I
Um grande servo de Deus
Que na vida tinha fé
Ele um filho de Num
Na Bíblia fala que é
Da tribo de Efraim
Por nome de Josué.
               II
Sabemos que Josué
Teve sua formação
Seu nome significa
A palavra “salvação”
Pra família era Oséias
Teve modificação.
              III
“Jeová é salvação”
Moisés adicionou
Sendo o nome divino
Yesoshua ele chamou
Traduzindo ao português
Que por Josué ficou.
               IV
Moisés que o delegou
Para ele comandar
As tropas israelitas
E juntos iam lutar
Contra os saqueadores
Quando vinham atacar.
                  V
A palavra vem falar
Que ele foi escolhido
Pra sucessor de Moisés
Do qual foi atribuído
Pra ele auxiliar
Moisés que lhe deu sentido.
                 VI
E do Egito saído
Já tinha quarenta anos
Tinha possibilidade
Ser treinado e ter planos
Exército de faraó
Que só cometeu engano.
                VII
Josué dentro dos planos
Que Moisés designou
Como um representante
Josué então ficou
Da tribo de Efraim
Pro trabalho que formou.
                 VIII
Josué também ficou
Como um dos doze espias
Que foram averiguar
Fazendo auditorias
A terra de Canaã
Habitantes quem serias?
                IX
Ele um dos doze espias
Com Cabele defendeu
Que todos israelitas
Prosseguir permaneceu
De invadir Canaã
Ideia que acolheu.
              X
E Moisés o escolheu
Sucessor ele ficar
Pois Moisés o morreria
Antes que pudesse entrar
Nas terras de Canaã
Com o seu povo morar.
                 XI
Josué então ficar
De Moisés o sucessor
Ser líder e comandar
Que escolheu o Senhor
Do povo de Israel
Povo muito sofredor.
                 XII
Esse líder lutador
A Deus sempre foi fiel
Ele estando a frente
Cumpriu com o seu papel
Que lutou e defendeu
O povo de Israel.
          Mossoró-RN, 04.12.2017.
                  Ilton Gurgel, poeta.



quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

A HISTÓRIA DE ESDRAS
               I
Nossa Bíblia Sagrada
Nós podemos encontrar
A história de um homem
Agora vou relatar
No antigo testamento
Que veio se destacar.
                II
Seu nome a registrar
Esdras que era chamado
Esdras quer dizer “ajuda”
O seu significado
O filho de Seraías
Homem muito preparado.
                III
Nele identificado
Sua genealogia
Gerações anteriores
Da qual Esdras pertencia
Que ia até Adão
Nessa metodologia.
                IV
E Esdras que exercia
Na vida duas funções
Totalmente confiável
E sem fazer distinções
Sacerdote e escriba
Seguia convicções.
              V
Com suas aptidões
E a ele confiado
Entre judeus liderou
Um grupo de exilados
Pra Jerusalém voltava
E por Esdras comandado.
                VI
Por Neemias citado
O então Governador
Importância que tinha
Dedicado ao Senhor
Orientava seu povo
Era aconselhador.
             VII
Um escriba de valor
Pois o escriba seria
Um nobre funcionário
Do governo e exercia
Um cargo de confiança
O escriba merecia.
              VIII
Escriba também teria
As funções determinadas
As administrativas
A esse subordinadas
Oficial do exército
Todas especificadas.
               IX
Podiam ser confiadas
Para ele controlar
Alistar os contingentes
No serviço militar
Para servir o exército
Que ia designar.
            X
Também significar
Uma parte literária
Crônicas e documentos
Redigir na legendária
E também cópia de textos
Era parte secundária.
              XI
Nada extraordinária
A parte que exerceu
Na função de sacerdote
Que Esdras permaneceu
Orava e confessava
Foi o que desenvolveu.
             XII
E na Bíblia escreveu
O livro que encontramos
No antigo testamento
Dez capítulos somamos
Importante conteúdo
No livro que foleamos.
           Mossoró-RN, 03.12.2017.
                 Ilton Gurgel, poeta.











segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

A VIDA DE MATUSALÉM.
                 I
Nossa Bíblia nos mostra
Um homem como ninguém
Recordista por viver
Na idade foi além
O oitavo patriarca
Por nome Matusalém.
               II
Só sabemos muito bem
Ele foi quem mais viveu
Muito tempo aqui na terra
Tudo que aconteceu
Ele que teve três filhos
E depois ele morreu.
                III
De Enoque ele nasceu
Gênesis é registrado
Está no capítulo cinco
Com versículo mostrado
Vinte e um a trinta e dois
Todo especificado.
                 IV
E com o tempo passado
Nasceu o filho primeiro
Cento e oitenta e sete,
Lameque o seu herdeiro
Depois disso mais dois filhos
Que veios por derradeiro.
                   V
E seguindo no roteiro
Ele foi pai dum casal
Os nomes não relatados
Só um foi especial
Que foi o filho Lameque
Pai dum homem genial.
                VI
Sendo avô paternal
Do patriarca Noé
Noé que fez sua arca
Em Deus tinha muita fé
Escapando do dilúvio
Esteve sempre de pé.
               VII
E Matusalém que é
O oitavo patriarca
Sendo nove meia nove,
Sua idade que marca
Mais vivência nesta terra
Que a Bíblia demarca.
                VIII
Ele não entrou na arca
Para poder escapar
Com o seu neto Noé
Dilúvio premeditar
Morreu antes do dilúvio
A Bíblia vem registrar.
                IX
O estudo vem mostrar
A Deus ele era temente
E Matusalém que foi
Um homem bem competente
Vivendo quase mil anos
Teve vida influente.
                X
Pouco fala simplesmente
Na Bíblia sua passagem
Destaca sua idade
Ela faz a abordagem
Fala mais do seu pai que
Seguiu o Deus com coragem.
                   XI
E avô dum personagem
Que antes já relatei
Quase no anonimato
Mas dele hoje falei
O homem que viveu mais
Que qualquer outro que sei.
                  XII
Assim hoje relatei
Uma passagem que tem
No antigo testamento
Onde comentei também
A vida dum patriarca
Por nome Matusalém.
          Mossoró-RN, 02.12.2017.
                 Ilton Gurgel, poeta.
                  



sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

ESCOLA ESTADUAL “SEBASTIÃO GURGEL” COMPLETA 60 ANOS.
                I
Quero homenagear
 Com meu verso secundário
A uma escola que
Faz o seu aniversário
A Sebastião Gurgel
Esse grande educandário.
                II
Marcado no calendário
Completa sessenta anos
Escola estadual
Que tem dentro dos seus planos
Formar profissionais
Os nossos seres humanos.
                  III
E sem cometer enganos
Com seu princípio fiel
Professores competentes
Que formam o seu plantel
Exemplo pra Caraúbas
A Sebastião Gurgel.
                IV
Nós vemos no seu papel
De Escola Estadual
Um educandário público
Ser muito essencial
Pra nossa educação
Ela é fundamental.
               V
Além de especial
É de grande tradição
Totalmente empenhada
Na nossa educação
É um exemplo mostrado
Para toda região.
               VI
O seu modelo padrão
Com apoio a cultura
Incentivo ao esporte
O cordel também figura
No quadro de atividades
De uma forma segura.
                VII
A sua arquitetura
Vemos que é fascinante
A Sebastião Gurgel
Tem um trabalho brilhante
Pra o desenvolvimento
Do quadro de estudante.
                VIII
Essa escola importante
Hoje aniversaria
Uma data magnífica
Que tanto beneficia
Por que são sessenta anos
De muita sabedoria.
                IX
De alta categoria
São os profissionais
Todos eles competentes
São intelectuais
A escola também tem
Suas redes sociais.
                X
As lembranças são reais
Pra que nela estudou
Foi um ponto de apoio
Quem na escola passou
Entrar numa faculdade
Essa mesma preparou.
               XI
O seu ensino ficou
Também na nossa memória
Ex-alunos que nós somos
Marcamos sua história
Motivo de alegria
De honra e muita glória.
                XII
Hoje a sua história
Entre todos se repete
Lembrar sua fundação
Sei que a todos compete
O dia dois de Dezembro
Do ano cinquenta e sete.
              Mossoró-RN, 02.12.2017.
                      Ilton Gurgel, poeta.