quinta-feira, 19 de janeiro de 2017


TÃO QUERENDO ACABAR A VAQUEJADA, PRA MATAR A CULTURA DO SERTÃO.

                          I

No Brasil tão fazendo uma lei

Os políticos querendo aprovar

Pra com a vaquejada acabar

Muito ruim é tudo o que eu sei

Vaquejada que sempre admirei

Ela aqui tem enorme tradição

E também é a nossa diversão

Festa que é bastante badalada

Tão querendo acabar a vaquejada

Pra matar a cultura do Sertão.

                      II

Alegam proteger o animal

O político que nada disso entende

E também eu sei que não compreende

O fato que é tradicional

Pisa aqui em ano eleitoral

E não vê a nossa situação

Quer voto pra fazer corrupção

Deixando a nação prejudicada

Tão querendo acabar a vaquejada

Pra matar a cultura do Sertão.

                      III

Vaquejada aqui é uma festa

Ela é alegria do vaqueiro

Que segue na festa o seu roteiro

E aqui a pessoa não contesta

Agora sertanejo manifesta

Para não ter essa decepção

Não haja assim a proibição

Da festa que é tão participada

Tão querendo acabar a vaquejada

Pra matar a cultura do Sertão.

                    IV

A festa que tanga gente emprega

Trazendo pro Sertão um rendimento

Enquanto ocorre divertimento

Trabalha a pessoa não se nega

É uma renda que o Sertão pega

Ajuda muito a população

O político só vê sua razão

Olhando de uma forma errada

Tão querendo acabar a vaquejada

Pra matar a cultura do Sertão.

                      V

No Brasil onde existe o rodeio

Esse sim maltrata o animal

Nele não tem nada de cultural

Só causa muita dor e aperreio

Animal amarrado pelo meio

Sofrendo enorme violação

Em cima dele está o peão

Pra ter a queda que é esperada

Tão querendo acabar a vaquejada

Pra matar a cultura do Sertão.

                      VI

Temos que tomar uma providência

Para a vaquejada não morrer

Precisa a mesma acontecer

Ela que só traz boas consequência

Sertanejo mostrar  eficiência

Para ter garantida animação

E sorrir quando o boi dá um cambão

Na pista ocorre a disparada

Tão querendo acabar a vaquejada

Pra matar a cultura do Sertão.

           Mossoró-RN, 16.01.2017.

                 Ilton Gurgel, poeta.

  

 

 

 

          

 

 

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017


NO CORAÇÃO DE JESUS, EU VOU FICAR HOSPEDADO.

                   I

Minha vida foi mudada

Foi uma transformação

Com Jesus na minha vida

Encontrei a solução

Pra eu poder afirmar

Que terei a salvação.

               II

Pois a minha conversão

Foi significativa

Agora vou afirmar

Uma meta exclusiva

É Jesus na minha vida

De maneira expressiva.

                 III

Que também é conclusiva

Onde eu vou habitar

Na Glória Celestial

Com Jesus quero ficar

Dentro do seu coração

Que eu vou me hospedar.

                  IV

Coração que sabe amar

A prova Jesus já deu

Por amor a nossa gente

Foi o que aconteceu

Para nossa salvação

Numa cruz ele morreu.

                 V

Por amor permaneceu

E foi muito obediente

Fez a vontade do pai

Nosso Deus Onipotente

Com seu doce coração

O que fez foi consciente.

                VI

Um coração atraente

Que faço a moradia

Sendo o essencial

Par quem nele confia

Pro coração de Jesus

Habito com alegria.

              VII

Morar com a harmonia

Tudo com simplicidade

Pois Jesus o nosso Rei

É nossa autoridade

Nele eu vou habitar

Indo pra eternidade.

              VIII

Uma exclusividade

Um coração valioso

Cabe todos os irmãos

Nesse coração famoso

Coração que nos hospeda

E não fica sigiloso.

             IX

Sendo ele precioso

Pronto para receber

Aquele que aceitar

Jesus e reconhecer

Que é nosso salvador

Com ele permanecer.

                X

E neste meu entender

Meu lugar já reservado

No coração de Jesus

Meu lugar está guardado

Pois com honras e com glórias

Nele serei hospedado.

                 XI

Coração muito amado

Ele é nosso destino

Um coração valioso

Que tanto eu me fascino

Com esse coração bom

Eu não sei peregrino.

                XII

Eu sei que sou pequenino

E também sou pecador

Como todo ser humano

Pecado é um horror

Mas Jesus o coração

Hospedo-me  com amor.

          Mossoró-RN, 17.01.2017.

                  Ilton Gurgel, poeta.

 

.

 

 

 

 

 

segunda-feira, 2 de janeiro de 2017


          FELIZ 2017

                 I

Chegamos num novo ano

Que aqui se inicia

É dois mil e dezessete

Para nossa alegria

Mais um ano de vitória

Para quem em Deus confia.

                  II

Deus é nossa garantia

É a nossa segurança

E que neste ano novo

Renove a esperança

E quem confiar em Deus

O objetivo alcança.

                III

O ano aqui avança

Com o seu cotidiano

Nossa rotina diária

Que temos dentro do ano

E que Deus passe a frente

De todo o nosso plano.

                IV

Haja erro ou engano

Precisa ser corregido

Por que Deus é quem comanda

A ele atribuido

Pois nosso plano com Deus

Sabemos que faz sentido.

                V

E cada dia seguido

Por Deus seja abençoado

De Deus todo o desejo

Possa ser realizado

Ocorra em nossa vida

Neste ano iniciado.

              VI

Um ano tão esperado

Com tanta convicção

Vimos no mundo inteiro

Sua comemoração

Ao chegar o ano novo

Foi grande a emoção.

               VII

E Deus com sua bênção

Seu infinito poder

Venha nos abençoar

Por mais um ano trazer

E a Deus com coração

Eu quero agradecer.

               VIII

 E que possa ocorrer

De Deus a sua vontade

Pois Deus sabe o que faz

Nos dá oportunidade

Para a gente obedecer

Com nossa honestidade.

                 IX

Com a boa qualidade

Deste ano que começa

Todos os dias e meses

Que a todos interessa

Para a gente viver

Calmamente sem ter pressa.

                  X

Não sou de fazer promessa

E nada quero pedir

Entrego nas mãos de Deus

Minha vida prosseguir

Para Deus tomar de conta

Tudo ele dirigir.

               XI

O ano que vou seguir

Sempre na minha rotina

Com a bênção do Senhor

Nesta vida cristalina

Tudo no tempo de Deus

O melhor ele ensina.

                XII

Deus com sua disciplina

Tudo a ele compete

Um ano novo feliz

No amor que nos injete

A todos felicidades

Em dois mil e dezessete.

             Mossoró-RN, 01.01.2017.

                   Ilton Gurgel, poeta.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

segunda-feira, 31 de outubro de 2016


SÓ MINHA CABEÇA É QUEM SUPORTA, TUDO QUE EU FAÇO EM POESIA.

                             I

Hoje tem para a gente armazenar

Mídia e também computador

Também o poeta inspirador

Ao fazer verso vem se inspirar

Ele na sua cabeça guardar

Com prazer decora com alegria

Sem poder emitir segunda via

Pra ele Deus sempre abre uma porta

Só minha cabeça é quem suporta

Tudo que eu faço em poesia.

                       II

O sangue que correm em minha veia

Circula por uma veia poética

A gente tem sempre uma estética

O verso é quem na mente semeia

E produz a rima que encadeia

E tanto ele me influencia

O corpo a veia prepararia

Veia que recebe nome de horta

Só minha cabeça é quem suporta

Tudo que eu faço em poesia.

                      III

Poeta do verso faz a triagem

Quando está com toda inspiração

Guardando com total dedicação

Na mente com a enorme bagagem

O verso que não e uma montagem

Apenas usa a filosofia

Prática vem antes da teoria

Pra rimar a mente não fica morta

Só minha cabeça é quem suporta

Tudo que eu faço em poesia.

                     IV

Poeta tem o armazenamento

Celebro ele fica preparado

E pronto pra na hora ser usado

Tendo o grande desenvolvimento

Principal entre o departamento

O que é sempre minha garantia

Se errar ele tem a anistia

E então a rima não fica torta

Só minha cabeça é quem suporta

Tudo que eu faço em poesia.

                      V

Eu não sou poeta por profissão

Verso é meu hobby ou meu esporte

A mente tenho todo o suporte

Pra fazer rima com inspiração

Eu sei que tem uma integração

Quem ouve o sorriso contagia

E também o verso o elogia

É o que a minha mente comporta

Só minha cabeça é quem suporta

Tudo que eu faço em poesia.

                     VI

Por isso agradeço o criador

Nosso Pai que fez com sinceridade

Forte Deus que é da eternidade

Ele que é o nosso redentor

Do verso meu Mestre e professor

A mim deu toda a sabedoria

A mente que tem a sua franquia

Pro verso e que a mente exporta

Só minha cabeça é quem suporta

Tudo que eu faço em poesia.

             Mossoró-RN, 30.10.2016.

                  Ilton Gurgel, poeta.

 

 

 

 

 

segunda-feira, 17 de outubro de 2016


SÓ JESUS COM AMOR E O PODER, PRA TRAZER A PAZ PRA HUMANIDADE.
                        I
A gente precisa se vigiar
E orar pra poder termos a paz
Única solução que é capaz
De fazer tanta guerra acabar
O terror só faz se multiplicar
Grande é toda a barbaridade
O mundo perdeu sua qualidade
Que antes tínhamos para viver
Só Jesus com amor e o poder
Pra trazer a paz pra humanidade.
                      II
O mundo que está tão violento
Parece que acabou o amor
A gente vê o povo com rancor
Causando no cristão constrangimento
Acabou no povo o sentimento
Não temos mais gesto de humildade
Vai tudo em uma velocidade
Que não dá mais para sobreviver
Só Jesus com amor e o poder
Pra trazer a paz pra humanidade.
                      III
A vida que não é mais respeitada
Só vemos violência a ambição
Discórdia e também perseguição
Região inteira que é tentada
Precisa a paz ser anunciada
Pra voltar a nossa realidade
Com a paz a nossa sociedade
Faz com que o amor possa crescer
Só Jesus com amor e o poder
Pra trazer a paz pra humanidade.
                      IV
Hoje no mundo só tem discordância
O homem não respeita mais ninguém
Até a própria vida que tem
Para a paz fica em grande distância
Partindo para a ignorância
Só vemos cenas de barbaridade
Parece que não tem capacidade
De pegar nossa paz e refazer
Só Jesus com amor e o poder
Pra trazer a paz pra humanidade.
                       V
Mas Jesus com seu doce coração
Que sempre ele dá misericórdia
Par quem pratica toda discórdia
O Senhor sempre dá o seu perdão
Exemplo passou por humilhação
Mesmo com poder e com santidade
Enfrentou e sofreu barbaridade
Perdoou quem nele veio bater
Só Jesus com amor e com poder
Pra trazer a paz pra humanidade.
                     VI
Perdoar e amar o seu irmão
E fazer sempre gesto de carinho
Dar a flor no lugar de um espinho
E beijar no lugar da agressão
Assim é tanta recomendação
Pra viver com maior fraternidade
Pois a paz é nossa prioridade
E também a Jesus obedecer
Só Jesus com amor e o poder
Pra trazer a paz pra humanidade.
             Mossoró-RN, 11.10.2016.
                   Ilton Gurgel, poeta.
 
 

 

DÍZIMO É NOSSA OBRIGAÇÃO, NA BÍBLIA ELE É RECOMENDADO.

                        I

A gente que ora todos os dias

E segue da Bíblia sua leitura

Destaco um assunto de censura

Gênesis fala e em Isaías

E também no livro de Malaquias

No capítulo três é registrado

Verso dez está especificado

Devolver pra Deus com integração

Dízimo é nossa obrigação

Na Bíblia ele é recomendado.

                       II

Tem gente que não lê e ignora

Gente que tem pouco conhecimento

Usando pouco o entendimento

E debocha do dízimo toda hora

Para quem não conhece apavora

Ficando até um pouco irado

Dizimista é privilegiado

Quando faz sua participação

Dízimo é nossa obrigação

Na Bíblia ele é recomendado.

                     III

A gente precisa ser dizimista

Pra obra do Senhor fortalecer

Dízimo benefício vem trazer

O crente pra isto é realista

Fato que é uma grande conquista

Pois por Deus é muito abençoado

Das portas do Céu que é derramado

As graças e de Deus a proteção

Dízimo é nossa obrigação

Na Bíblia ele é recomendado.

                     IV

O povo precisa só entender

Que Igreja tem conta a pagar

Despesa como em qualquer lugar

Ela tem e deve obedecer

Precisamos o dízimo devolver

Por ser um compromisso confirmado

E ter o salário abençoado

Também é um gesto de gratidão

Dízimo é nossa obrigação

Na Bíblia ele é recomendado.

                   V

Lamento existir ignorante

Que diz que dízimo é pro pastor

Este que da grana não ver a cor

Leva a culpa este inocente

Dízimo tem a equipe somente

De gente totalmente preparado

Pra ele ser bem administrado

Passa por séria fiscalização

Dízimo é nossa obrigação

Na Bíblia ele é recomendado.

                      VI

Dízimo que também não é oferta

Isto é o que muita gente pensa

Pois dos dois existe a diferença

Cada um na sua maneira certa

Pra quem é consciente se desperta

Para o dízimo ser praticado

Um gesto que é tão congratulado

E de Deus tem toda aprovação

Dízimo é nossa obrigação

Na Bíblia ele é recomendado.

            Mossoró-RN, 10.10.2016.

                  Ilton Gurgel, poeta.

 

 

 

 

 

 

 

             

quinta-feira, 13 de outubro de 2016


JESUS SEMPRE ESTÁ PRESENTE, PARA ME ABENÇOAR.

                      I

Nossa vida tem de certo

A presença de Jesus

O que a gente produz

Jesus sempre está perto

Não precisos ser esperto

Pra assim continuar

E vida e pra lutar

Pela vida simplesmente

Jesus sempre está presente

Para me abençoar.

                 II

Abençoa todo dia

Minha vida na rotina

No trabalho que fascina

Traz a paz e harmonia

Jesus me beneficia

Não deixa nada faltar

Só nele vou confiar

Disso eu sou consciente

Jesus sempre está presente

Para me abençoar.

               III

Fortaleço a cada ano

Nele minha confiança

Jesus é a esperança

É quem traça o meu plano

Nesse meu cotidiano

Sempre me orientar

Pra salvação conquistar

Jesus Cristo é a semente

Jesus sempre está presente

Para me abençoar.

                IV

Único e verdadeiro

Santo que traz salvação

Nele tenho devoção

É o meu tiro certeiro

Eu confio por inteiro

Minha vida entregar

Só nele acreditar

Pois Jesus é influente

Jesus sempre está presente

Para me abençoar.

               V

Acompanha e me vigia

Ele do Reino da Glória

Fazendo minha história

Corrigindo todo dia

Fazendo benfeitoria

Para assim continuar

A vida e caminhar

Na minha vida somente

Jesus sempre está presente

Para me abençoar.

             VI

Para o Céu eu irei

E já estou preparado

Meu lugar está guardado

Com Jesus eu ficarei

Por isso que eu amei

E pra sempre vou amar

É saber valorizar

 O filho do Onipotente

 Jesus sempre está presente

Para me abençoar.

          Mossoró-RN 09.10.2016.

                Ilton Gurgel, poeta.