sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

HOMENAGEM A UM MITO BRSILEIRO “WALDICK SORIANO”

I
Sobre um mito brasileiro
Aqui eu quero falar
Eu ouvi na minha infância
Estou sempre a me lembrar
É Waldick Soriano
Que vou homenagear.
II
No mundo pôde chegar
No ano de trinta e três
Nascestes no dia treze
Esta foi a sua vez
Data do seu nascimento
Sendo Maio este mês.
III
Em Maio de trinta e três
No Brasil teve o plano
Um talento para a música
Este homem muito humano
O país que escutou
O Waldick Soriano.
IV
Aumentava a cada ano
O sucesso e sua fama
Waldick gravava música
Que muito o povo ama
Um estilo diferente
Com histórias e com trama.
V
Cada música um drama
Qualquer um intitulava
Receber nome de brega
Que muita gente chamava
Boemia ou roedeira
No estilo que cantava.
VI

Waldick que tanto amava
Era uma grande figura
Sua apresentação
Mostrava grande postura
Cada disco que gravava
Agradava a criatura.
VII
O rei da literatura
Da cultura popular
Chapéu e óculos de sol
Marca que pôde ficar
Seu sucesso aumentava
Com o povo a cantar.
VIII
Os boleros a dançar
Romantismo em ação
Duas músicas de Waldick
Que me traz recordação
É “Aliança Jogada”
E “Eu não sou cachorro não”.
IX
Foi de uma geração
Que criou bastante fã
Ouvia durante a noite
E também pela manhã
Ele era igual um vôo
Rasante de Arapuá.
X
Eu via bastante fã
No meu tempo de menino
Seu sucesso era enorme
Lá no solo nordestino
Também em toda nação
Do grande ao pequenino.
XI
Um coração de menino
Waldick sempre agradava
Do mais velho ao mais novo
Que a ele escutava
Curtia o seu sucesso
E todo mundo gostava.
XII
Assim ele caminhava
Hoje aqui eu me lembro
Morreu em 2008
Dia 04 de Setembro
O Brasil perde um artista
E o Céu ganhou um membro.


Caraúbas-RN, 18.01.2009
Ilton Gurgel, poeta.

Um comentário:

THEO DE BRITTO disse...

Ilton, O WALDICK SORIANO, vai ficar na história, da Música Popular Brasileira, muito merecedimente...SAUDAÇÕES