sexta-feira, 28 de novembro de 2008

SE MULHER FOSSE PITÃO, EU MORRIA EMPANZINADO
I
Apetite duplamente
Não só prato e colher
Também entra a mulher
Para formar o repente
Porque a mulher somente
Vê que não sou um veado
Muito menos um tarado
A fome e o tesão
Se mulher fosse pirão
Eu morria empanzinado.
II
Melhor que mulher não tem
Tudo que a gente come
Comida mata a fome
E a mulher nos convém
A minha eu quero bem
Pois eu sou apaixonado
Nunca vou deixar de lado
Domina meu coração
Se mulher fosse pirão
Eu morria empanzinado.
III
Eu sou bom de apetite
Pois até já tenho fama
Também eu sou bom de cama
Quem quiser que acredite
A mulher que me agite
Se to calmo e acordado
Aí sim fico vexado
Como diz na região
Se mulher fosse pirão
Eu morria empanzinado.
IV
Sou muito bom de barriga
Pra comer tudo eu faço
Pra mulher eu não fracasso
Sem cansaço e sem fadiga
Com ela não faço intriga
E nem sou acomodado
Já estou acostumado
Fazer minha diversão
Se mulher fosse pirão
Eu morria empanzinado.
V
Não importo de onde for
Simples ou com vaidade
Da alta sociedade
Qualquer jeito dou valor
A mulher é uma flor
Dela sou elogiado
Fico bem alimentado
Não importo a posição
Se mulher fosse pirão
Eu morria empanzinado.
VI
Se aqui eu comparar
A mulher com a comida
Qual a minha preferida
Não precisa nem falar
É só raciocinar
Que já vê o resultado
Não sou um pobre coitado
Com a alimentação
Se mulher fosse pirão
Eu morria empanzinado.

Brasília-DF, 23.08.2008
Ilton Gurgel, poeta.

Um comentário:

THEO DE BRITTO disse...

Valeu, Grande Poeta, só voçê mesmo, para ter tamanha inspiração.Abraços...