segunda-feira, 14 de julho de 2008

NOSSOS FILHOS PRECISAM DE TER CUIDADO, PRA VIVER NESTE MUNDO VIOLENTO
I
O mundo tão cheio de violência
Injustiça e muita corrupção
Na rua vemos tanta agressão
Causando uma série conseqüência
O jovem cria a sua potência
Cada um com seu próprio argumento
Para os pais é o puro sofrimento
Quadro que hoje é tão lastimado
Nossos filhos precisam de ter cuidado
Pra viver neste mundo violento.
II
Do nada começa pancadaria
Assalto sem ninguém o respeitar
Armado muita gente vai andar
Pra fazer só ato de covardia
Se matar não assume a autoria
Perigo aumenta todo momento
Causando um grande constrangimento
Gritante e também muito humilhado
Nossos filhos precisam de ter cuidado
Pra viver neste mundo violento.
III
Nós vemos só ato de crueldade
Por gangues que hoje se organizam
Esse mal pelos jovens enraízam
Agressão que fazem por vaidade
Isto aí é a mais pura maldade
Rápido como o passar do vento
Dizem ser forte igual a cimento
Pois quem ver fica até horrorizado
Nossos filhos precisam de ter cuidado
Pra viver neste mundo violento.
IV
Proteger os filhos não se encerra
Pois filho para mim é um troféu
Presente que ganhei do pai do Céu
Triunfo que tenho aqui na terra
Pra eles não entrarem nessa guerra
A gente tem muito entendimento
Mostrar que tenho muito sentimento
Como pai eu fico preocupado
Nossos filhos precisam de ter cuidado
Pra viver neste mundo violento.
V
Uma coisa eles têm que evitar
Pra família acho o mais importante
É não ter contato com traficante
Do mesmo nunca nada aceitar
E saber com quem se acompanhar
Amigos de um bom comportamento
Se sair saber qual é o evento
E ver se o lugar é aprovado
Nossos filhos precisam de ter cuidado
Pra viver neste mundo violento.
VI
Aqui o que fiz serve de alerta
Para quem só procura a violência
Mude de idéia com consciência
Esperar no futuro é o que resta
No mundo tanta coisa hoje não presta
Não sei nem o que via ficar isento
Estado que traz muito sofrimento
Pra ninguém dizer que foi enganado
Nossos filhos precisam de ter cuidado
Pra viver neste mundo violento.

Brasília-DF, 11.07.2008
Ilton Gurgel, poeta.

Um comentário:

Simone disse...

Oi Gurgel amei suas poesias, desculpe se demorei a ler, parabéns meu amigo, jamais poderei competir com vc. Um super abraço de sua grande amiga e admiradora...
Simone